Pão & Vinho

Aprendendo o Passado, Entendendo o Presente, Discernindo o Futuro

Pode o Cristão Tomar Bebida Alcoólica? – Parte 2

vinhoNa primeira parte deste estudo, procurei comprovar que a Bíblia não condena o consumo moderado de álcool, apenas seus excessos. Na segunda parte deste artigo, falaremos sobre as bebidas alcoólicas atuais (fermentadas e destiladas) e sua equivalência / discrepância com o vinho e a bebida forte dos tempos bíblicos. Abordaremos também a questão de como o álcool pode ou não abalar nosso testemunho cristão, e de como é visto por cristãos de outras culturas.

Vinho ou Tang?

Um dos argumentos mais comuns por parte dos irmãos abstênios é o de que o vinho e a bebida forte dos tempos bíblicos eram diferentes dos vinhos e bebidas fortes atuais. Alguns exegetas que pregam a favor da abstenção de álcool negam que o vinho e a bebida forte nas Escrituras tinham poder embriagante. Mas as advertências de cautela e os diversos episódios de embriaguez narrados na Bíblia (Gn. 9:20; Prov. 20:1;Is. 5:11, 22; Is. 28:7; 1 Cor 11:21; Ef 5:18, entre outras) são demasiadamente abundantes para que possamos fechar nossos olhos para o fato de que as bebidas dos tempos bíblicos tinham o potencial de embriagar.

Como procurei esclarecer na primeira parte deste artigo, a “bebida forte” mencionada na Bíblia podia alcançar, no processo de fermentação natural, um nível de 14% de teor alcoólico, equivalente ao dos vinhos secos atuais, pelo menos três vezes mais alto do que uma cerveja comum (5%). Qualquer tribo indígena pode ensinar a tais exegetas que é possível produzir bebidas fortes a partir da fermentação natural não somente da uva, como também da cana de açucar, do abacaxi e até mesmo da casca de batata. Isso sem nenhuma intervenção do homem que vá além de armazenar o extrato por algumas semanas.

Alguns exegetas apresentam dados incorretos na construção de sua “premissa da Lei Seca”, ao afirmar que os judeus diluíam o vinho em água na proporção de três porções de água para uma porção de vinho, e alguns chegam a ensinar a proporção de dez porções de água para uma porção de vinho (!!!). Em primeiro lugar, shekar (bebida forte) não era diluído em água. Yayin (vinho) era diluído em água, mas como afirmei no artigo anterior, a proporção era justamente o contrário: três porções de vinho para uma de água. De acordo com a Enciclopédia Judaica, isso é o que a literatura rabínica indica.

E o caro leitor, se usar seu senso crítico, pode determinar se um suco de uva “ralo”, mais parecido a “Tang” do que a vinho, teria o poder de causar os incidentes envolvendo embriaguez narrados na Bíblia, e mereceria tantas advertências no texto sagrado quanto aos perigos e inconveniências de seu consumo abusivo.

Uma análise imparcial do que a Bíblia nos diz, certamente nos levará às conclusões inevitáveis de que: 1) o vinho e a bebida forte da Bíblia tinham o poder de embriagar; 2) as Escrituras advertem quanto ao abuso destas bebidas, porém 3) não proíbem seu consumo.

Bebidas Fermentadas versus Bebidas Destiladas

Há um detalhe, entretanto, a ser observado nos dias atuais. Hoje em dia, além de bebidas fermentadas (cerveja, vinho, saquê, champagne, alguns tipos de cidra, etc.), há também bebidas destiladas (cachaça, conhaque, tequila, vodka, rum, etc.).

Em média, o teor alcoólico das bebidas fermentadas varia entre 5%  e 14%, como nos tempos bíblicos. Entretanto, alguns vinhos contemporâneos passam por um segundo processo de fermentação, pela adição de açúcar, podendo chegar até 25%.

Já as bebidas destiladas podem chegar a 90% de teor alcoólico (no caso do absinto e do uísque). O teor alcoólico da cachaça varia entre 48% a 56% 1 e o da vodka 40%2.

O teor alcoólico de algumas bebidas destiladas (como o uísque, por exemplo) são demasiadamente altos para serem consumidas sem causar nenhum dano ou alteração no organismo da pessoa que o ingere. Antes de consumir qualquer tipo de bebida, é prudente verificar sua graduação alcoólica, e sempre preferir as bebidas fermentadas, por seu baixo teor alcoólico.

O Vinho em Outras Culturas

O grande reformador alemão Martinho Lutero disse certa vez: “Deus reformou a Igreja enquanto eu tomava cerveja.”

Na Europa, no Chile e em outras partes do mundo, muitos crentes genuínos possuem uma pequena adega em sua casa. A propósito, diga a um irmão português que ele não pode beber um bom Vinho do Porto durante o jantar e ele dirá que você é o herege…

Já tive a oportunidade de ceiar com missionários no meio da selva amazônica com vinho autêntico, ou seja, suco de uva fermentado. O pioneiro deste trabalho entre os índios Parecís e Nambiquaras é um herói na fé que Deus trouxe da Holanda para evangelizar estes povos indígenas. Ele é fruto do mesmo avivamento que produziu irmão André e Corrie Ten Boom. O tabu da Lei Seca parece ser uma prática adotada pelas Igrejas fundadas por missionários americanos. Entre muitos cristãos europeus, não há tabus para o consumo de álcool.

Quando viajamos e temos contato com outras culturas, acabamos nos deparando com outras formas de adoração e práticas diferentes da nossa. E pelo que Deus faz por meio destas pessoas, somos obrigados a abrir nossa cabeça e entender que aquilo que é cultural não possue valor absoluto. Assim como o álcool, coisas como o uso de cabelo comprido por homens, uso do véu pelas mulheres, mulheres pregadoras e música secular devem ser administradas de acordo com o contexto em que vivemos, mas jamais devemos agregar a estas coisas tabus absolutistas.

Tomar Álcool Abala Meu Testemunho?

A embriaguez destrói o testemunho de qualquer santo. Já no caso do consumo moderado de álcool, dependerá da situação e do contexto em particular.

Particularmente, tenho uma relação muito próxima com alguns líderes do Narcóticos Anônimos aqui da região, alguns dos quais se tornaram discípulos e irmãos na fé. Para um ex-viciado em drogas ou em álcool, qualquer tipo de bebida é um tipo de droga. Portanto, ensinamos a estes discípulos que se abstenham totalmente de álcool para seu próprio bem (assim como ao diabético que se abstenha de doces e quitutes). Não temos o costume de tomar vinho em público, por respeito a estes irmãos (Rm 14:21). A Ceia do Senhor é feita com suco de uva, por consideração aos que não podem tomar vinho, mas a estas pessoas não é nenhum segredo que compartilhamos o vinho na intimidade de nossas casas.

Nossos discípulos estão sendo formados sem nenhum tabu com relação ao álcool.  Paulo é claro ao dizer que onde falta o auto-controle, tabus se fazem inúteis, somente patrocinam máscaras (Col 2:20-23). E onde não há tabus, não há ofensa.

O preconceito maior com relação ao álcool se dá mais por parte dos “evangelizados” do que por parte dos incrédulos ou novos convertidos.  A solução para evitar o escândalo é não consumir vinho ou cerveja em público, mas na intimidade de nossas casas, ao mesmo tempo em que somos sinceros quanto à nossa posição com relação ao tópico.

Conclusão

Não tomo cerveja e compro uma garrafa de vinho ou champanhe muito de vez em quando. Minha motivação ao escrever este artigo não é justificar minhas “apetites pessoais”, pois posso passar anos sem colocar uma gota de álcool na boca. Como dito na introdução da primeira parte deste artigo, minha intenção é somente buscar a verdade de forma imparcial, promovendo o diálogo e a tolerância entre irmãos que possuem uma prática diferente com relação ao álcool.

Como neto de uma matriarca “católica praticante”, por muitos anos deixei de comer carne na chamada “Sexta-Feira da Paixão”. Cresci ouvindo que era pecado comer carne neste dia. Sempre comi carne vermelha, mas por causa do dogma que havia sido incucado em minha mente, na sexta-feira da paixão toda carne se tornava profana para mim. Quando conheci a Jesus, este dogma caiu por terra, e hoje posso comer carne em qualquer dia do ano sem me escandalizar.

Paulo afirma que “nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura” (Rm 14:14). Muitas vezes determinamos se algo é santo ou profano pelas lentes dos dogmas que foram incucados em nossa mente. Não obstante, muitas coisas que a religião rotula na verdade são elementos neutros, cujo benefício ou malefício se determina pelo bom ou mau uso que alguém faz destas coisas.

Em Mt. 5:29, Jesus jamais disse “arranca teu olho direito” de forma generalizada, mas sim “arranca teu olho direito [somente] se ele te faz tropeçar”. Se temos um problema com nosso olho direito, não temos o direito de impor que todos se façam caolhos juntamente conosco para entrar no Reino de Deus.

Devemos deixar de lado a teologia do “não toques, não manuseies” para adotar a teologia do “examine-se a si mesmo” para determinar nossos limites pessoais e exercer o domínio próprio nas áreas em que somos débeis. O papel da Igreja é pregar a verdade, e discipular na base do um a um (marcação individual, como no futebol), conhecendo-nos uns aos outros, apoiando-nos e exortando-nos individualmente nas áreas em que necessitamos de libertação, sem impor jugos desnecessários aos demais.

Se o álcool faz alguém tropeçar, seja por motivo de consciência ou dependência, é santo e agradável ao Senhor que tal se mantenha abstênio. Já aos que tomam vinho ou cerveja, minha recomendação é que o façam moderadamente desde que suas consciências o permitam fazê-lo (pois tudo o que provêm de dúvida é pecado – Rm 14:23), sempre exercitando o domínio próprio e tomando o cuidado para não colocar o irmão débil em uma situação de tropeço. E, o mais importante, que aquele que bebe, não julgue o que não bebe. E o que não bebe, que não julgue o que bebe com moderação.

Notas

[1] Wikipedia=cachaça.
[2] Wikipedia=vodka.


© Pão & Vinho

Este artigo está sob a licença de Creative Commons e pode ser republicado, parcial ou integralmente, desde que o conteúdo não seja alterado e a fonte seja devidamente citada: http://paoevinho.org.

Bookmark and Share
Tema(s): , ,

27 Comentários

  1. Prezado Irmão Graça e Paz.

    Concordo com toda sua mensagem. Também cresci ouvindo que era pecado assistir televisão, jogar bola, beber vinho e coisas semelhantes a esta. Mas depois que conheci a graça e a palavra dentro do seu contexto, me perguntava: que significa a orientação?: Não chegado muito ao vinho” outra ” chegado a pouco vinho” Em Corintios Paulo aconselha a Igreja sobre a Ceia, e é bem claro que aquele “vinho” não era suco de uva. Não tendes casas para comer e se embriagar? Paulo simplesmente advertia os irmãos de Corinto, para vir a igreja apenas para comunhão, não para comer antecipadamente e beber descontroladamente. “Não vos embriaguez com vinho que trás contenda, mas enchei-vos do Espirito” O texto não diz; “Não bebereis” e sim: “Não embriaguez”

    Quem lê este meu comentario pensa que eu sou um degustador de todos os dias” Engano de quem pensa desta forma. Apenas devemos ser racionais, e dizer algo que a bíblia não esta dizendo é pior que tomar vinho, basta lê em Apocalipse onde diz: Aquele que acrescentar um til ou um jota, seria penalizado.

    Graça e Paz.

    ReplyReply
  2. Josiel Dias: Também cresci ouvindo que era pecado assistir televisão, jogar bola, beber vinho e coisas semelhantes a esta. Mas depois que conheci a graça e a palavra dentro do seu contexto, me perguntava: que significa a orientação?

    Você faz parte de um grupo seleto de privilegiados que aprendeu a pensar de forma lógica e independente, pelas lentes da Palavra, e aprendeu a tomar leite puro sem a mistura da tradição humana. Parabens. Que bom seria se mais pessoas usassem de seu senso crítico.

    ReplyReply
  3. No meu entendimento o problema é que alguém embriagado poderia cometer um “pecado de verdade” . Em Pv 20:01 acho que resume bem isso. Então se conseguir beber e parar no momento certo não há problema nenhum…. afinal a bíblia diz que Jesus era consumidor de vinho (MT 11:19), e ainda afirma que o vinho é para alegria do coração do homem (Sal 104:15) … e não faz diferença se é vinho, cerveja, vodka ou cachaça desde que se mantenha um estado de consciência e responsabilidade.

    ReplyReply
  4. Estou emocionado sinceramente com o esclarecimento aqui dado, eu e minha esposa estamos nesse dilema se é ou não pecado o assunto mencionado acima, de fato não só foi esclarecido para mim como já conhecia certas liberdades que a Bíblia nos concede inclusive está, digo isso não a meu favor e nem de ninguém, não costume beber, as vezes sim, já passei por outras igrejas e vi que isso sempre foi um tabu, ou seja que a verdade seja dita, uma verdade que busco em minha vida principalmente sobre o evangelho de Cristo, hoje não pertenço a nenhuma igreja infelizmente, devido a certos conceitos que frente a palavra a bíblia eu discordo, hoje minha esposa praticante na igreja estamos em muitas contradições e dilemas sobre o posicionamento cristão na igreja, muito obrigado.

    ReplyReply
  5. Alexandre,

    Fico contente que o artigo tenha sido de esclarecimento e edificação para a sua vida.

    Um grande abraço e se quiser bater um papo a respeito disso e outros tabus do cristianismo, entre em contato e podemos conversar mais.

    Um abraço!

    ReplyReply
  6. eu acho que não comvem um cristão beber vinho por que a bibli diz que não podemos servi a dois senhores sabemos que o deus do vinho e conhecido como baco então se somos usuario de vinho estamos adorando a ele . e essa comverça de bebe moderado isso e comversa pra boi dormi que toma uma garrafa não se comtenta so com uma. amem!!!!!!!!!

    ReplyReply
  7. Jefesoon, ou Jeferson, seja lá qual for o seu nome, eu tenho uma pergunta para você: Mamon é o deus do dinheiro. Ao ganharmos e gastarmos dinheiro estamos adorando a Mamon também?

    ReplyReply
  8. Amém irmão, eu sempre partilhei da mesma idéia, o apostolo Paulo escreveu que bem aventurado é o homem que não se condena naquilo que aprova, e também que não devemos escandalizar o nosso irmão. Então pra mim é só saber o que convém, na hora e no momento certo. DEUS quer os verdadeiros adoradores em espírito e não doutrinas e tabus.

    ReplyReply
  9. Achei muito esclarecedor o texto dado pelo nosso irmão em Cristo. O Evangelho de Jesus, veio para libertar os homens do julgo da religiosidade dos Farizeus. Agradar a Deus deve ser sempre o nosso maior objetivo, e não conseguiremos isto se não tivermos uma mente isenta de culpa. Gosto de vinho, cerveja, consumo moderadamente e tenho a certeza que não desagrado a Deus. Meu testemunho eu dou, sendo uma pessoa correta, marido de uma só mulher, amigo de todos sem julgar ninguem, e não fazendo distinção de pessoas, Amo a Deus, e tenho certeza que a minha vida esta nas mãos dele, quero que a minha vida seja um convite ao evangelho, e não uma vacina. Por isso repudio sim, pregadores que algemam com opinioes pessoais, jovens e adultos que acabam se distanciando, achando que a posição de Deus é esta,e que ele assina em baixo da opinião destes pregadores.

    ReplyReply
  10. Sábias palavras. É absurdo ver quanta ignorância em nosso meio e principalmente de novos convertidos, tantos dógmas religiosos e doutrinas inventadas e implementadas pelas próprias igrejas como olhe convém.

    Alguns recém convertidos ou dogmas que se dizem evangélico, dizem que na bíblia onde se diz Vinho, na verdade é suco de uva. Ora, seria o mesmo que dizer que o Discípulo Paulo, que era um homem severo, mas justo, intemerato, sábio, e POLIGLOTA, ou seja, tradutor do evangelho, teria errado ao dizer que o Primeiro milagre de Jesus foi transformar água em Suco de uva, o que na santa ceia teria suco de uva no lugar do vinho.
    É muita ignorância do povo de Deus, e Deus condena a falta de sabedoria, e diz:

    JOÃO 08:
    32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

    II CORÍNTIOS 11:
    3 Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo.

    A bíblia condena a embriaguês, o exagero, como tudo na vida que é em exagero é nocivo a saúde humana e a vida espiritual, contudo, concordo que, pessoas que têem problemas ou já tiveram problemas com vícios, seja alcool ou drogas, se absteam por total.

    Se o consumo moderado de vinho fosse pecado, Jesus não teria feito dele seu primeiro milagre, pelo contrário, teria dito a Maria ¨Afasta-se se mim satanás¨ como o fez quando queriam que o seu propósito de ser crucificado fosse impedido.

    Parabéns pelo artigo e por trazer mais inteligência e luz para os crentes pois o ser Humano é muito preguiçoso por natureza, acredita em dogmas que seriam desfeitos se buscassem a sabedoria na leitura da Bíblia.

    Vamos ler a bíblia minha gente, e como tudo que é exagero é prejudicial, o fanatismo faz parte deste exagero e deixa muitas vezes a pessoa cega, e imune ao conhecimento.

    ReplyReply
  11. @Hugo:
    Nossa.
    Tirou as palavras de minha boca. Mas não nos deixemos elevar os ânimos. Na verdade contava com a possibilidade de alguém comentar a esse respeito de maneira mais bem posicionada do que aquele que simplesmente apela para uma crítica enfurecida e dotada de um orgulho sem base, como a do colega Jeferson. Como um debate, ou um ponto de vista bem trabalhado. Mas por enquanto, nada.

    ReplyReply
  12. @Diego: Eu tambem estou esperando… :)

    ReplyReply
  13. Olá, Equipe do Pão & Vinho.

    Mesmo não professando o ministério dessa Equipe tive a curiosidade de ler o artigo sobre bebidas de modo geral e, congratulo-lhes pela inteligência em interpretar a Bíblia Sagrada. A palavra do Senhor diz: !Não Embriaguez.” Portanto, a consciência e a responsabilidade cristão deve acompanhar o livre arbítrio que nos foi oferecido por Jesus Cristo e pela Carta Magna de 05/10/1988. Obrigada. Fiquem na Paz e Bem!!!!

    ReplyReply
  14. Olá Hugo, concordo com seus pensamentos e colocações dentro da bíblia sobre a bebida em relação a bíblia, gostaria de saber melhor sobre a sua bibliografia, pois sei que quando defender os meus pensamentos sobre o assunto, vão me questionar quem é o autor deste artigo “Hugo”, pois serei questionado, quem escreveu, quem ele é, o que ele faz, que base religiosa ele tem para divulgar isso? etc, não me entenda mal, mas tentei saber tudo isso no pão & vinho mas não consegui achar.
    Adorei suas respostas e o assunto abordado sobre a bebida e a bíblia.

    Parabéns!

    ReplyReply
  15. Wildener Hott Dos Santos,

    Muito obrigado por sua visita e por seu comentário.

    Também não me leve a mal, mas penso que as Escrituras são suficientes para julgar minhas idéias sem que eu precise fazer uso de qualquer publicidade no âmbito pessoal. Nelas busco me sustentar. São elas que me aprovam ou me condenam. Se aquilo que escrevo está de acordo com as Escrituras, então minhas credenciais se fazem desnecessárias. Se minhas idéias não se alinham com as Escrituras, devem ser anatemizadas independente de minhas credenciais. Assim, que me julguem por meio das Escrituras e não por aquilo que sou ou faço. Tudo aquilo que realmente importa a meu respeito está neste link:

    http://paoevinho.org/?page_id=6078

    E se as pessoas tiverem alguma pergunta, sempre serão bem vindas para visitar o blog e deixar seu comentário, assim como você fez.

    Um abraço, meu irmão.

    ReplyReply
  16. estou maravilhado com este artigo. entendie e aceitei o sacrificio do senhor jesus cristo desde julho de 2000, dai pra frente, faco estudos biblicos de alguns assuntos “polemicos”. concordo com voces, e de fato deve-se quebrar esse e outros tabus. eu gostaria de saber o porque que os lideres (pastores) omitem essas verdades e oque ganham com isso.porem quem bebe moderadamente que seja pro louvor da gloria de Deus, quem não bebe que seja prolouvor da gloria de Deus pois tudo que venhamos a fazer seja pra louvar e engrandecer o senhor jesus nosso Deus.

    ReplyReply
  17. Lamentavelmente a Palavra de Deus tem sido analisada de forma parcial quando se quer defender um ponto de vista que favoreça a unilateralidade (óbvio). Assim como aqueles que fazem apologia ao consumo de bebida alcóolica, tem aqueles que insistem que unir-se a uma mulher que prostitui-se é normal, considerando que Deus mesmo determinou que um dos seus profetas (Oséias 1:2) tivesse filhos com uma mulher de prostituições e também aqueles que insistem que Davi e Jônatas eram amantes, pois Jônatas amava a Davi com todo amor de sua alma. Entendo amados, esse esforço por querer considerar o consumo moderado de bebidas alcóolicas como algo natural, eu também já o fiz e sempre usava desses argumentos quando pressionado pela ação do Espírito de Deus. Sentia-me sujo, envergonhado passei a consumir em botecos instalados em porões para não dar mal testemunho e por fim, profanei o meu lar achando que por consumir lá não incomodaria ninguém….só que vieram os filhos….Seria muito engraçado meu filho pedindo: Papai, não esqueça de minha mamadeira de vinho, ou latinha de cerveja pra eu tomar no intervalo da escola bíblica (dependendo do clima). E olha que eu como todos que defendem o consumo do alcóol também não me achava viciado, afinal, Deus deu ao homem domínio sobre todas as coisas e por aí vai. São 2.250.000 (dois milhões duzentos e cinquenta mil)As mortes/ano em todo mundo provenientes do consumo do alcóol, contra 250.000(duzentos e cinquenta mil) provenientes do consumo das chamadas drogas ilícitas. A conversa é chata, o papo é longo e prá finalizar digo olhando para a palavra e também para o contexto no qual estamos inseridos: Não beba. Dificilmente alguém enche a barriga de pizza, de churrasco, ou de guaraná, chega em casa e dá uma surra na mulher e nos filhos. A maconha também é medicinal quando tempo levará para que também façamos uso moderado da mesma em casa….Dá um tapa aí mulher, queima o beiço ai meu filho…
    Fraternalmente em Cristo,
    Jorge Marques

    ReplyReply
  18. Jorge Marques, que tal tomar um tempo para LER e RESPONDER os argumentos apresentados no artigo (partes 1 e 2) e usar as Escrituras, ao invés de “achismos” e opiniões pessoais?

    ReplyReply
  19. Caro Jorge Marques,

    O seu discurso é bonitinho, porém, à luz das escrituras representa muito pouco, aliás quase nada. Não faça de seu caso uma regra. Nem todos que são cristãos e tomam uma cerveja chegam em casa e espancam suas esposas e agridem os seus próprios filhos. No teu caso, ir pra um boteco de fundo de quintal pra se esconder dos demais e “encher a lata” já é prova suficiente de que a tua atitude em relação ao álcool era bem íntima. No meu caso venho buscando da parte de Deus o entendimento correto em relação ao assunto, e lhe afirmo que esse assunto é longo porém de transparente interpretação. Todos nós estamos sujeitos ao pecado, o que a bíblia nos ensina é não nos entregarmos ao pecado. Claro, que isso não sirva de justificativa para ficarmos por aí nos posicionando de forma errada com desculpas esfarrapadas. Se vc entende dessa forma tudo certo, que continue longe do álcool! só não faça do seu achismo uma regra. Abraço.

    ReplyReply
  20. a paz irmao ugo, eu ja fui um beberrao, e deveria ser um dos protestandes radicais sobre esse assunto,mas o SENHOR me libertou e me deu entendimento.Depois de ver tantos sites comentando a distorcao da biblia, pegando textos sem contextos e palavras dificeis para quererem dizer que o vinho é pecado,ou era suco.Com muito custo achei vc em meio a tantas criticas,e vc deu uma aula daquilo que eu ja estava ate escrevendo e vc postou ai justamente o mesmo que eu penso, incrivel. estou escrevendo sobre o vinho desde o momento que tive uma discursao sadia com um amigo que disse que o vinho é do diabo e eu disse a ele: cuidado com suas palavras, assim é a mesma coisa de dizer que JESUS pecou; Eu venho estudando sobre o assunto e versiculos biblicos que relatam o vinho com “alcool”. Li dentro da palavra que era costume do povo judeu ter o vinho junto das alimentacoes sem qualquer constrangimento, porque era comum,costume. Li tambem,que o vinho e bebida forte em festas perante ao SENHOR LHE era agradavel, e li tambem DEUS amaldicoando o vinho daqueles que nao queriam andar conforme a SUA palavra, nao so o vinho mas tudo era amaldicoado, e outra palavra que li é o filho de DEUS sentando na mesa de pecadores , comendo e bebendo com eles, sem se preocupador o que diriam os de “fora” sobre ele , ate aqueles que se diziam serem de “deus”. O problema é que a religiao “farisaica” existe ate hj com suas leis severas aonde o SENHOR nao tem autoridade, sao as leis dos homens “religiosos” e nao de DEUS.”MISERICORDIA EU QUERO E NAO SACRIFICIOS”. a paz do SENHOR JESUS a todos.

    obs: ugo eu postei esse comentario na parte1 mas coloquei neste tbm para lhe perguntar, qual a enciclopedia sobre judaismo que esclarece mais sobre esses costumes dos judeus, tem na internet? para maior estudo , te agradeco.

    ReplyReply
  21. Fabricio, obrigado por sua visita e por seu comentário. Se você lê inglês, dê uma olhada na Enciclopédia Judaica (http://www.jewishencyclopedia.com).

    ReplyReply
  22. Matéria muito esclarecedora. Realmente, o que mais vemos por ai são farisaísmos e não a graça de Deus. Só fico triste porquê, infelizmente os cristãos de hoje, que tem total acesso a Bíblia, ao contrário dos cristãos de outrora, só querem seguir leis humanas e não o Evangelho e acabam impondo jugos pesados a mim mesma.Conheço ínfimas pessoas que bebem e nem por isso fazem coisas sujas e irresponsáveis como bater na esposa.Mas também conheço pessoas que nem sequer bebem, mas o coração é sujo como.Aliás, o vinho ocupou lugar de destaque no Novo Testamento, afinal, foi ele o primeiro milagre de Jesus e devido a ele Jesus teve a fama de beberrão, o que não o incomodava em nada.

    ReplyReply
  23. @Hugo: Parabéns! Esclarecedor …. “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso;se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!” – Mateus 6:22-23 |

    ReplyReply
  24. Também gostei muito da colocaçao deste seu estudo e louvo a Deus pela sabedoria concedida a ti para orientar-nos neste sentido. Até porque muitos como eu quando fomos evangelizados, pelo medo de desagradar a Deus nos deixavamos levar pela ignorancia dos leigos que usam textos biblicos “isolado” para manter-nos temerosos a puniçao de um Deus grandioso em sabedoria. Inclusive tenho algo para compartilhar e esclarecer: na passagem biblica de Ana onde quando o sacerdote Eli a repreende dizendo que ela está embriagada e ela lhe responde: “nao tenho” bebido bebida forte ou vinho……..este “nao tenho” na concepçao do pouco portugues que tenho me diz que quer dizer ela nao tinha bebido naquele momento, senao ao invés de “nao tenho” teria dito “nao bebo”. Por favor me ajude a esclarecer isto. Desde já agradeço por nos ter ajudado em um assunto tao criticado quanto a bebida.

    ReplyReply
  25. Sim, o que você diz faz sentido.

    ReplyReply
  26. Gostaria de saber nao só do sentido em que digo mas sim da sua colocaçao neste estudo, até porque acredito que a bençao da gravidez que Deus deu a Ana foi justamente por ela ter demonstrado ao Senhor que ela tinha um coraçao adorador com ou sem bebida (diferente de muitos até hoje que bebem para se encorajarem a adentrar nas concupciencias da carne e do mundo), e que ela foi compreendida por Deus mesmos nos momentos quando bebia se martirizando pelo fato de nao gerar filhos. Nao deixando de comentar que independente de sua mistura “bebida e sofrimento” Creio que Deus só pode atender ao seu clamor quando ela se embriagou do espirito e nao do vinho, deixando claro que apesar da misericordia de Deus Ele nao se deixa escarnecer

    ReplyReply

Trackbacks

  1. [DIÁRIO DE BORDO]

Comente

FAVOR LER ANTES DE COMENTAR: Obrigado por deixar seu comentário. Este espaço está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes, mas todos os comentários devem ter relação com os temas acima. NÃO SERÃO PUBLICADOS: 1) artigos na íntegra de livros, revistas ou outros sítios (caso a citação seja necessária, favor resumir o conteúdo e citar o link/bibliografia para referência); 2) comentários do tipo "visitem o meu blog", sem nenhuma relação com o tema em questão; 3) comentários ofensivos que contenham palavras de baixo calão ou ataques contra leitores ou contra o editor. Por ser este um espaço aberto a opiniões diversas, comentários publicados nesta seção não refletem necessariamente a opinião deste blog.

Do NOT fill this !