A ascensão do episcopado no 2º século

Nas Escrituras, a Igreja local era governada não por um único pastor, mas por um colegiado de presbíteros. Bispo e presbítero eram termos intercambiáveis até o século II, quando o bispo ganha uma órbita distinta dos demais membros do presbitério. Surge a figura do episcopado que predominaria ao longo de dois milênios de História, como nos explica o historiador Philip Schaff: 1

Os termos presbítero (ou ancião) e bispo (ou supervisor, ou superintendente) denotam no Novo Testamento um único e mesmo ofício… Eles aparecem sempre como uma pluralidade ou como um colegiado de uma única congregação (mesmo em cidades menores como Filipos). Os líderes da Igreja em Éfeso são chamados de presbíteros e bispos de forma intercambiável. Paulo envia saudações aos “bispos” e “diáconos” de Filipos, mas não menciona “presbíteros” porque eles já estariam incluídos entre os bispos… Nas epístolas pastorais, onde Paulo delineia as qualificações para os líderes na Igreja, ele novamente menciona somente dois tipos: bispos e diáconos, e usa o termo “presbítero” posteriormente para se referir à pessoa do bispo. 2

No começo do segundo século, a partir de Inácio, os dois termos se tornam distintos e começam a representar dois ofícios diferentes: o bispo, considerado a cabeça da congregação cercado por um conselho de presbíteros e, posteriormente, o cabeça da diocese e sucessor dos apóstolos. Como o bispo [Joseph] Lightfoot explica: “O episcopado não surgiu da ordem estabelecida pelos apóstolos … mas emergiu do presbitério e a designação [de bispo], que era originalmente comum a todos [os presbíteros] com o tempo se tornou algo exclusivo ao chefe dos presbíteros.” Entretanto, os registros da identidade original [da Igreja] foram preservados pelos melhores estudiosos entre os pais [antenicenos], como Jerônimo (que ensinava que o episcopado havia emergido do presbitério como uma maneira de evitar cismas na Igreja), Crisóstomo e Teodoro.

A função dos presbíteros-bispos era ensinar e governar a congregação específica confiada a seu encargo. Eles eram os “pastores e mestres” usuais 3… Os presbíteros sempre formavam um colegiado, uma coletividade, um presbitério 4… Mantinham, sem dúvida, uma relação de igualdade fraternal… A ideia mais próxima do antigo episcopado católico pode ser encontrada na posição singular de Tiago, irmão do Senhor… Mas, na verdade, ele era apenar um “primus inter pares”, ou o primeiro entre iguais. Em sua última visita a Jerusalém, Paulo foi recebido pelo corpo de presbíteros e deu ao grupo o relatório de seu trabalho missionário 5. Além do mais, a autoridade de Tiago foi algo excepcional e devida principalmente ao seu relacionamento íntimo com o Senhor e à sua santidade pessoal, que conquistou o respeito até mesmo dos judeus não convertidos.

A instituição do episcopado [singular] não pode ser encontrada na era apostólica, no que diz respeito à evidência documentária, mas ganha um destaque quase universal já na segunda metade do segundo século.

NOTAS:

  1. SCHAFF, Philip. History of the Christian Church. Delmarva Publications (2013), eBook.
  2. 1Tim. 3:1-3, 1Tim. 5:17-19, Tito 1:5-7
  3. Ef. 4:11
  4. Atos 11:30, Atos 14:23, Atos 15:2,4-6,23, Atos 16:4, Atos 20:17,28, Atos 21:18, Fp 1:1, 1 Tim. 4:14, Tg 5:14, 1Pe 5:1
  5. At. 21:18
Posted in História da Igreja and tagged , , , , , , .