Martyn Lloyd-Jones e a “desordem divina”

Martyn Lloyd-Jones (1899-1981) é considerado por muitos uma das vozes cristãs mais respeitadas na Igreja do século XX. Por quase 30 anos, ele ministrou na Westminster Chapel de Londres e foi um dos principais opositores da teologia liberal que ameaçava o Cristianismo em sua geração. Em sua obra ‘Revival’ (Avivamento), Lloyd-Jones aborda a questão das manifestações espirituais presentes em avivamentos. 1

Martyn Lloyd-Jones

Martyn Lloyd-Jones

Isso acontece nos avivamentos, e nos deixa intrigados: uma estranha mistura entre uma grande convicção de pecados e grande alegria, uma sensação tremenda de terror diante do Senhor, e ao mesmo tempo ação de graças e louvor. Um avivamento sempre é acompanhado de algo chamado “desordem divina.” Alguns agonizam e gemem sob convicção de pecados e outros louvam a Deus por tão grande salvação. […]

Falemos agora a respeito de uma questão delicada: a dos chamados “fenômenos” que algumas vezes se manifestam nos avivamentos. Novamente digo que há muita variação aqui. Algumas vezes, um avivamento se manifesta de forma poderosa e mesmo assim se dá de forma mais ou menos tranqüila. É marcado por emoções profundas. Pessoas se convertem em grandes números, mas de forma tranqüila. Mas nem sempre é assim.

Na verdade, é quase uma regra dos avivamentos que tais fenômenos se manifestem: homens e mulheres que não somente são convencidos de seus pecados, mas que são tomados por uma agonia com relação ao seu pecado. Eles não somente enxergam que são pecadores e que precisam crer no Salvador, mas tal convicção vem sobre eles ao ponto de enfermá-los fisicamente. Eles entram literalmente em agonia de alma. […]

As pessoas estão em agonia de alma e gemem. Às vezes, choram copiosamente e agonizam de forma audível. Mas o processo nem sempre termina aí. Às vezes, as pessoas são tomadas de tal convicção de pecados e sentem o poder do Espírito de tal maneira que desmaiam e caem no chão. Às vezes, há até mesmo convulsões, convulsões físicas. E às vezes, as pessoas parecem perder seus sentidos, entrando em uma espécie de transe, permanecendo neste estado por horas.

Bem, tudo o que mais desejo neste momento é lembrá-los dos fatos. Eles variam. Estes fenômenos podem estar presentes ou não, mas geralmente, você verá coisas deste tipo em avivamentos. […] Estes fenômenos não são essenciais para um avivamento. Devemos sempre nos lembrar disso. Podemos ter avivamento sem estes fenômenos, mas é correto dizer que, geralmente, tais fenômenos tendem a estar presentes em avivamentos.

NOTAS:

  1. Martyn Loyd-Jones. Revival. Crossway. 1987. Pp. 103, 110-111, 134
Posted in História da Igreja and tagged , , .