Perfeitos em Unidade

Há dias estou mastigando João 17, tentando digerir as palavras do Mestre e analisando os rumos que temos tomado como Igreja. Desde então não pude ler mais nenhum outro versículo bíblico com a mesma profundidade. É como se estivesse “enroscado” aqui.

À luz desta palavra, vejo quão profético foi o avivamento na Argentina da década de 60 que acabou respingando no Brasil. Suas ênfases principais foram 1) o Senhorio de Cristo por meio do discipulado e 2) a Unidade do Corpo de Cristo. Já no Brasil, muitos entenderam a mensagem do discipulado mas não a da Unidade do Corpo. Ao contrário, acabaram sendo contaminados pela praga do sectarismo. Sim, se falava em comunhão e unidade, mas somente com aqueles que pensavam igual a nós e pregavam a mesma mensagem que a nossa. Faltou luz para cultivar a comunhão do Corpo em meio à diversidade – confundíamos unidade com uniformidade.

Outro erro crasso de alguns movimentos restauracionistas no Brasil foi permitir-lhes a atribuição do rótulo de “movimentos da restauração”, algo que consciente ou inconscientemente depositou sobre os ombros de alguns o “jugo messiânico” de salvar aqueles que já estavam salvos dentro das denominações evangélicas. Décadas mais tarde, ao tirarmos proveito do benefício da retrospectiva, vemos o quanto erramos nesse sentido.

Diante disso, vale o alerta aos novos movimentos emergentes de que qualquer pessoa que insista nesse erro será um odre velho com quem o Senhor não poderá trabalhar. Porque a Igreja que Deus quer formar não está confinada nas basílicas, tampouco nas salas de estar, mas é uma confluência de crentes oriundos de diferentes tradições que espontaneamente caminharão juntos e compartilharão a Mesa do Pão. Porque Cristo não está preso a movimento A ou B mas Ele é tudo em todos.

O Corpo é de Cristo.

Maranatha

© Pão & Vinho - Alguns direitos reservados.
Pode ser republicado, parcial ou integralmente, desde que o conteúdo não seja alterado. É expressamente vedado o uso comercial desta ou qualquer outra obra de propriedade intelectual do autor.
Licença Creative Commons
Posted in Igreja Simples and tagged .